Estilo de Vida

Trabalho Precário Produção de Luxo

Dados técnicos:
Título: Trabalho Precário Produção de Luxo
Categoria: Documentário
Direção e Produção: Idalina Vinuto
País: Brasil
Ano: 2015
Duração: 16’36”

Sobre o que fala:
A obra retrata o dia-a-dia de Francisca Antonia Rodrigues, brasileira, faccionista, casada e mãe de duas meninas. Sua rotina consiste em acordar cedo, logo começar a trabalhar e só parar a noite. Seu serviço consiste em dar acabamento às peças enviadas por empresas. O trabalho é realizado em sua casa, num pequeno cômodo que divide com seu marido e mais uma costureira. Sem carteira assinada, não possui seus direitos trabalhistas assegurados e espera que um dia este ramo das facções seja regulamentado por lei.
Francisca conta que muitas vezes as empresas para as quais presta serviço não respeitam nem reconhecem seu trabalho. Que o valor pago às faccionistas é muito baixo enquanto que as peças são vendidas por preços bem superiores ao consumidor final. Isto é, ao contrário das facções, os fabricantes obtém um bom lucro com as roupas.
Tendo estudado somente até a 4ª série, não acredita que conseguiria administrar uma microempresa. Por isso, permanece prestando serviço terceirizado e no momento está em busca de outras empresas que a valorizem mais. Enquanto isso, ensina costura às filhas e incentiva a mais velha a cursar a faculdade de administração para poder gerenciar seu próprio negócio.

Reflexões sugeridas:
1. Você já parou para pensar em como são produzidas as roupas que usa?
2. O que podemos fazer para não compactuar com este tipo de relação de trabalho abusiva?
3. Você sabe o que significa cadeia produtiva? Como funciona a cadeia produtiva têxtil?
4. Grandes marcas ou pequenos empreendedores, qual o melhor caminho para conhecer mais a cadeia produtiva do que estou consumindo?

Opinião:
Quanto mais extensa a cadeia produtiva, mais difícil de ser monitorada. Portanto, vamos valorizar cada vez mais o trabalho local, artesanal e do pequeno empreendedor, e ir ao encontro destes trabalhadores!

O que você pensa sobre isso?