Estilo de Vida Paradigmas

O Sábio, o Turista e a Simplicidade

o_sabio

O início de um novo ano para muitos traz um significado especial de recomeço, de novos planos e de fé. Pensando nisso, o texto de hoje fala sobre necessidades e sobre viver com simplicidade. Desejamos que esta reflexão nos inspire a traçar bons projetos e a tomar decisões que nos tornem mais felizes e solidários.

O Sábio e o Turista

Conta-se que um turista viajou até a cidade de um famoso sábio, a fim de conhecê-lo. Ao encontrá-lo ficou surpreso, pois em sua casa não havia quase nada.
O sábio morava em um quartinho muito simples e cheio de livros. Suas únicas peças de mobília eram uma cama, uma mesa e um banco.
– Onde estão suas coisas? – perguntou o turista.
E o sábio, tranquilamente olhou ao seu redor e perguntou também:
– E onde estão as suas?
– As minhas?! – espantou-se o turista – Mas estou aqui só de passagem!
– Eu também. – respondeu o sábio com um sorriso e concluiu – A vida na Terra é somente uma passagem. No entanto, alguns vivem como se fossem ficar aqui eternamente, e esquecem-se de ser felizes.

Veja também: Texto “A Política dos 5 R’s e o Consumo Sustentável”

A Simplicidade

Ao ler este conto, naturalmente me recordo das ideias expressadas pelo movimento da simplicidade voluntária. Duane Elgin, em seu livro “Simplicidade Voluntária”, identificou oito categorias de simplicidade. São vistas como formas diferentes de florescimento deste movimento.

1. Simplicidade despojada. Ser simples significa se libertar de complicações e distrações vulgares e se ocupar com aquilo que é essencial para cada um de nós. Cita Thoreau que disse: “Nossa vida é consumida pelo detalhe… Simplificai, simplificai!”. E ainda Platão que escreveu “Para encontrar o próprio rumo, é necessário simplificar os mecanismos da existência cotidiana”.

2. Simplicidade ecológica. Ser simples significa adotar estilos de vida que tratem o planeta com mais delicadeza, causando menos impacto na teia da vida. Incentiva a conexão humana com a Natureza, e o respeito por toda a comunidade de seres vivos.

3. Simplicidade familiar. Ser simples significa priorizar o bem-estar da família, acima do materialismo e do consumismo. Estimula a formação de modelos saudáveis de vida equilibrada, baseados na qualidade de nossos relacionamentos, e não em nossas aquisições.

4. Simplicidade compassiva. Ser simples significa um profundo senso de fraternidade. Implica em sentirmos um vínculo com todas as formas de vida e optarmos por agir com cooperação e justiça.

5. Simplicidade nobre. Ser simples significa enxergar a vida como meditação e construir uma íntima ligação com tudo o que nos cerca. Diz respeito ao aprofundamento da nossa percepção em relação ao Universo e à atitude de apreciarmos de forma consciente as riquezas da vida.

6. Simplicidade econômica. Ser simples significa uma nova economia que se apresenta, formada por produtos e por serviços saudáveis e sustentáveis.

7. Simplicidade cívica. Ser simples significa mudança em todas as esferas da vida pública, exigindo o surgimento de novas formas de nos governarmos. Envolve desde políticas de transporte e de educação até mídias e infraestrutura de nossas cidades.

8. Simplicidade frugal. Ser simples significa que cortar gastos e administrar cuidadosamente nosso dinheiro nos dá maior liberdade financeira. Além de oportunidades para escolhermos de forma consciente o que queremos para nossa vida!

Referência:
Simplicidade voluntária: em busca de um estilo de vida exteriormente simples, mas interiormente rico. Duane Elgin, 5ª ed. São Paulo: Cultrix, 2012.

Foto abertura: Pixabay

O que você pensa sobre isso?