Estilo de Vida

A compostagem como saída

compostagem

Por que não reduzir os resíduos gerados numa casa? Embora a pergunta seja simples e a ação também, nem todos estão dispostos a agir neste sentido. Muitas vezes queremos reduzir, entendemos o impacto positivo que esta redução traria ao nosso ambiente, mas não mudamos nossos hábitos para que esta vontade se torne real. Nossos hábitos estão tão enraizados que a mudança parece estar longe. Mas é possível.

A compostagem é uma solução viável para esta redução. Existem diversos tipos de compostagem, desde a doméstica até a industrial, a agrícola etc. Cada uma funciona de uma maneira, possui um tempo de maturação, já que os insumos que passarão pelo processo variam. Falaremos aqui sobre a compostagem doméstica.

Entenda o cenário

Segundo dados do IBGE (Censo 2010), o Brasil conta com mais de 80% da população vivendo em ambiente urbano. Apesar deste elevado número, uma quantidade muito pequena dos resíduos gerados nas cidades são tratados de maneira correta. Das 228.413 unidades de destino final do lixo coletado existentes no país, apenas 2,86% (6.549) são estações de compostagem, que estão localizados principalmente na região Sudeste (83%).

O que estes dados nos revelam? Que a grande maioria dos resíduos que geramos em nossas casas, empresas etc. acabam sendo destinados para lixões a céu aberto ou aterros. Ou seja, embora o lixo pareça desaparecer quando os profissionais responsáveis por sua coleta o levam de nossa porta, na verdade só passaram a ocupar outro espaço. Não existe mágica. E se estes espaços não são próprios para o manejo dos resíduos, acabamos contribuindo para uma situação ambiental preocupante.

Com isso, voltemos à pergunta inicial. Por que não consideramos reduzir estes resíduos? Por que não mudamos nossos hábitos? A compostagem doméstica pode reduzir nossa produção de resíduos em até 50%; às vezes mais, dependendo do nosso estilo de vida, ou seja, podem solucionar problemas econômicos, ecológicos e mesmo de saúde causados pelo acúmulo de lixo. Além disso, a transformação dos resíduos orgânicos domésticos em composto ainda pode auxiliar a agricultura familiar, pois é um adubo com rica fonte de nutrientes. As plantas agradecem.

É possível mudar. Depende de como nos colocamos frente às situações. Esperar que algo mude tudo de uma vez seria bom, mas sabemos que não é assim que acontece. Precisamos internalizar esta mudança e começar nos pequenos passos, dia após dia, para alcançarmos o objetivo maior.

Fonte consultada:
– IBGE, Censo Demográfico 1960, 1970, 1980, 1991, 2000 e 2010.
– IBGE, Diretoria de Pesquisas, Departamento de População e Indicadores Sociais, Pesquisa Nacional de Saneamento Básico 2000.

O que você pensa sobre isso?